Início » Blog » O que faz um Business Partner? Entenda tudo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O que faz um Business Partner? Entenda tudo

Conforme a história da área de Recursos Humanos, um dia a área foi usada apenas para fins assistencialistas. Isto é, organizar toda a burocracia para admissões e demissões, controle das atividades dos empregados e ponto. A chave virou e a lógica mudou, o que fez o RH assumir um papel mais humano e estratégico, e uma pessoa também muito importante neste cenário é o Business Partner.

Também chamado de “parceiro de negócio”, essa é a pessoa estratégica que será a ponte entre a diretoria e as lideranças da empresa. Mas esse não é o objetivo do RH como um todo? A pergunta é válida, no entanto, um dos papéis do Business Partner é atuar em aprimorar as lideranças da empresa.

Maus líderes são também motivos para a evasão de talentos, e não é isso que as empresas querem. Afinal, são muitos investimentos envolvidos em manter um colaborador por perto, de capital financeiro a capital humano.

captura de tela de um tweet que diz
A identidade do autor do Tweet foi ocultada para preservar a privacidade do usuário

Mas não é só disso que se trata o cotidiano de um RH BP.

O cotidiano de um Business Partner

Geralmente, os expedientes se resumem a muitas reuniões. Se tratando de um cargo que visa se aproximar de pessoas, as reuniões são as ferramentas essenciais. Mas não só disso se forma o cotidiano de um Business Partner.

Podemos entender o profissional BP como uma espécie de guru, aquele que vai dar apoio às lideranças para a tomada de decisão. Ao se imaginar neste cargo, entenda que os “sim” e “não” não partirão de você, mas você deverá ter uma visão ampla para oferecer caminhos de escolha.

Em outras palavras, o Business Partner é o ser abençoado cheio das sabedorias. Brincadeiras à parte.

A Bruna Pereira, head de RH da Usemobile, me contou que “em um mercado no qual decisões são cada vez mais tomadas a partir de dados, o(a) BP precisa ser capaz de munir suas áreas clientes de análises, métricas e indicadores, a fim de, junto às lideranças, chegarem as melhores soluções.”

Fez sentido? Então vamos entender como isso se aplica ao cotidiano do parceiro de negócios.

Exemplos

Um exemplo desse tipo de decisão é sobre quem deve ser promovido, receber mérito ou até ser desligado da empresa. A pessoa Business Partner será aquela que vai se munir de dados e, junto aos gestores, fazer análises e tomar a decisão mais assertiva.

Como a análise de informações e KPIs é muito presente no cotidiano do BP, os dados são a principais ferramentas para apoiar nas tomadas de decisões.

Ainda sobre dados, eles podem (e devem) ser usados para compreender taxas de rotatividades também. Como já costumam dizer por aí: dados são o novo petróleo.

Ao analisar os tipos de perfis dos colaboradores que já pediram demissão, a pessoa BP usa dessas informações para compreender quem é propício a se desligar eventualmente. E aí é papel do parceiro de negócio identificar os porquês: salários, benefícios, lideranças, clima organizacional, fit cultural, entre outros.

Assim, dashboards ricos de dados sobre a empresa são muito ricos para a atividade.

Vencendo desafios

Esse cotidiano é o que justifica o perfil generalista de um Business Partner. Antes de aprofundar neste assunto (próximo tópico), preciso dizer também sobre os desafios da área.

A Bruna volta para acrescentar que:

“Um dos principais desafios do(a) é atuar como um verdadeiro parceiro estratégico do negócio e de pessoas, e não apenas ser um RH assistencialista. Para isso, é fundamental que o BP conheça o mercado no qual seu cliente/empresa está inserido, seus desafios, metas e principais indicadores de sucesso”

O segredo é simples: ter claro os objetivos da empresa e as estratégias de negócio. Mas não basta apenas ter esses conhecimentos, pois eles devem ser aplicados durante as reuniões e acionado quando for solicitado pelas lideranças. Lembre-se: a pessoa Business Partner é como uma consultoria especializada.

Conquistar a confiança e ter um bom relacionamento com a alta diretoria também são parte do simples segredo para o sucesso na carreira de Business Partner.

O perfil da pessoa Business Partner

Como deu para perceber ao longo do artigo, a pessoa BP é aquela figura estratégica. Então, ela deve fugir da lógica de um RH meramente assistencialista.

Isso quer dizer que o profissional deve prever possíveis problemas e se antecipar, junto a liderança, para parar o floco de neve antes que ela vire uma grande bola.

Para se tornar um profissional competente na área, é recomendável você ter atuado com:

  • Desenvolvimento de lideranças;
  • Métricas e KPI’s;
  • Atuação em projetos (de preferência, do início ao fim);
  • Avaliação de desempenho e remuneração.

Quanto a educação, além da graduação, é interessante cursos como:

  • Gestão de negócios;
  • Gestão de projetos;
  • Gestão estratégica de pessoas;
  • Curso específico de Business Partner;
  • Formação em coaching.

E o diferencial seria manjar de ferramentas como:

  • Excel;
  • Power BI;
  • Google Data Studio;
  • Ferramentas de gestão e coaching

Essa última lista de tópicos nos indica que um bom Business Partner tem um pensamento data driven. E, de fato, faz diferença mesmo, especialmente num mundo Big Data.

O salário de um BP

A depender da senioridade do profissional, seu salário pode variar entre R$4.000 a R$8.000, segundo o Glassdoor.

Afinal, por que Business Partner é importante para empresas?

Retomando o que foi dito no início, pessoas vão embora com lideranças ruins. Se elas se sentem desestimuladas, elas não são produtivas.

Empregados passam pelo menos 8 horas de seus cotidianos dedicados às empresas. Logo, é fundamental que os ambientes sejam propícios para elas se sentirem bem.

A partir daí, elas se sentiram motivadas, valorizadas e prontas para gerarem resultados fantásticos que elas mesmas irão se orgulhar muito. A nova era do RH é sobre pessoas e não se orientar a elas é um grande tiro no pé.

Então, resumidamente, ter a área de Business Partner nas empresas é importante para colaborar nos pontos abaixo:

  • Aprimorar nos processos das empresas;
  • Desenvolver lideranças;
  • Promover ambientes laborais favoráveis;
  • Aumentar a produtividade;
  • Diminuir a rotatividade de pessoas;
  • Trazer resultados esperados pela diretoria.

Importante lembrar que a gestão de pessoas é papel da liderança e não do BP. A pessoa BP é uma agente facilitadora. 

Essa conversa toda fez sentido pra você? Me conte nos comentários!

0 0 votes
Article Rating

Tópicos

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Este artigo foi feito por

Artigos recentes
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments