Setembro Amarelo: história e importância da campanha nas empresas

por

por

Mão segurando faixa amarela em homenagem ao 'Setembro Amarelo'.

O nono mês do ano é marcado pela campanha do setembro amarelo, que vem para nos lembrar da importância do cuidado com a saúde mental e prevenção do suicídio. A campanha surgiu quando, em 1994, um jovem estadunidense de apenas 17 anos tirou sua própria vida.

O assunto ainda desperta inúmeros debates. Ainda assim, conhecer a história do setembro amarelo é um ótimo caminho para entender a importância do cuidado com a saúde mental nas empresas e na sociedade como um todo.

Vale lembrar que um estudo da Universidade de São Paulo (USP) apontou que o Brasil está no topo da lista de países com mais pessoas ansiosas (63%) e depressivas (59%). Esses dois transtornos estão diretamente ligados aos altos índices de suicídio no país,que registra uma morte por suicídio a cada 45 minutos, de acordo com um psiquiatra.

Por isso, compreenda de uma vez por todas o que é o setembro amarelo; sua história; sua importância; exemplos de ações para o setembro amarelo nas empresas e algumas frases sobre saúde mental que deveriam sair do seu vocabulário.

Vale o adendo que o artigo abordará temas sensíveis para algumas pessoas.

História do setembro amarelo

O programa Yellow Ribbon, ou faixa amarela, foi fundado em 1994 pelos pais e amigos de um adolescente que tirou a própria vida: o jovem Mike Emme. Mike é descrito por aqueles que o conheceram como uma pessoa brilhante, amorosa e prestativa, que não soube pedir ajuda quando estava com problemas.

A história do setembro amarelo começa após o adolescente adquirir um Ford Mustang 1968 e restaurá-lo, como já havia feito com outros carros do mesmo modelo. Mike, que era reconhecido por seus talentos com mecânica, transformou o carro velho em um icônico Mustang de cor amarela vibrante, que o faria ser conhecido como “Mustang Mike”.

Foi atrás do mesmo carro que ele foi encontrado morto, após tirar sua própria vida. Ao lado de seu corpo, seus pais encontraram, às 23h52, uma carta.

“Não se culpem, mamãe e papai. Eu amo vocês.” Com a assinatura: “Com amor, Mike. 23h45”.

O jovem cometeu suicídio sete minutos antes de ser encontrado por seus pais, que pouco sabiam sobre a necessidade e urgência que o jovem tinha de conversar sobre seus problemas.

O legado de Mike Emme

Após o ocorrido, histórias de lugares diversos na região onde Mike habitava começaram a surgir. Em pouco tempo, várias pessoas começaram a relatar os feitos nobres que o adolescente fez para sua comunidade.

Dentre esses casos, uma mulher relatou que foi socorrida por Mike após seu carro quebrar na estrada. Na ocasião, o jovem parou seu Mustang para consertar o carro da mulher, que estava acompanhada de seus filhos, e ainda levou a jovem mãe em segurança pelo caminho até sua casa.

Uma colega de Mike também revelou que ele já havia cancelado a compra de uma transmissão nova para comprar duas usadas e, assim, fazer o carro de sua amiga funcionar também. Após tantos feitos, a mãe, o pai e os amigos de Mike decidiram que a cor amarela seria utilizada para lembrar o icônico Mustang de um jovem gentil e amado.

Em seu funeral, outros adolescentes distribuíram fitas e cartões amarelos como forma de incentivar outros a pedirem ajuda, caso necessário. Já em 2003, a Organização Mundial da Saúde (OMS) escolheu 10 de setembro para representar a luta contra o suicídio, e a cor do carro de Mike foi escolhida para estampar a iniciativa.

Conheça a história de Mike Emme no vídeo:

Qual a importância do setembro amarelo?

Nos últimos anos, com a ascensão dos debates acerca de depressão, ansiedade e outros transtornos, o setembro amarelo tem ganhado uma relevância ainda maior. O mês é o principal período do ano em que são divulgadas formas de prevenção e de combate aos pensamentos suicídas.

Ao longo de setembro, entidades privadas e governamentais promovem diversas ações buscando conscientizar a população sobre a importância do cuidado com a saúde mental. Esse debate, que por vezes ainda se encontra envolvido por tabus, mostra-se fundamental para reduzir o número de pessoas que sofrem com transtornos mentais.

Por isso, é de suma importância desconstruir alguns preconceitos comuns sobre pessoas com ansiedade e depressão. Conheça agora equívocos e frases sobre o setembro amarelo saúde mental para se evitar.

Setembro amarelo: 5 frases comuns e equivocadas

Segundo o Ministério da Saúde, a depressão é uma patologia que pode ter diversas causas, se apresentando nos pacientes como melancolia, falta de autoestima, irritabilidade e pessimismo, dentre outros sintomas. Isso se dá pois os que sofrem com essa doença passam por inúmeras alterações nas reações químicas do cérebro.

Parar de acreditar em calúnias sobre a saúde mental e o suicídio é uma das melhores formas de se conscientizar sobre estes problemas. Saiba cinco frases e equívocos para evitar no setembro amarelo:

1. “Pessoas com depressão são pessoas sem fé”

É uma farsa qualquer tentativa de ligação entre depressão e a falta de fé. O que ocorre, na verdade, é um desequilíbrio na produção de serotonina e a noradrenalina, dois neurotransmissores que regulam nosso humor, dentre outras coisas.

2. “Mas fulano parece tão bem. Não demonstra estar passando por isso”

Um adendo importante é que, por vezes, transtornos mentais como ansiedade e depressão podem se apresentar de forma discreta — quando o indivíduo não passa por alterações visíveis em suas relações pessoais e profissionais. Um caso famoso é o do cantor Chester Bennington, que, segundo sua esposa, “parecia bem” antes de tirar sua própria vida.

3. “Depressão é frescura” ou “Pessoas depressivas não têm força de vontade”

Como já dito antes, as mudanças do cérebro são o que causam as mudanças no humor e comportamento dos pacientes com depressão, e não o contrário. Por essa razão, é uma ofensa seríssima acusar pessoas com depressão de não possuírem resiliência.

4. “Terapia? Eu não. Não sou doido”

A terapia não é só para pessoas com problemas de saúde mental. Ela é indicada para qualquer um que queira se entender mais; melhorar aspectos de sua vida emocional e aprender a lidar de forma saudável com seus problemas.

Como monitorar a saúde mental dos colaboradores?

Os problemas com a saúde mental por vezes são sorrateiros, e fazem com que a pessoa não demonstre sinais claros de estar precisando de ajuda. Por outro lado, no ambiente de trabalho, há alguns indícios que podem sinalizar que um colaborador está com problemas.

Confira agora alguns sinais que podem indicar que um colaborador precisa de ajuda:

  • Exaustão física e/ou mental;
  • Apatia ou indiferença;
  • Falta de foco;
  • Falta de motivação;
  • Reclusão ou isolamento;
  • Falta de engajamento.

Felizmente, as discussões sobre doenças ocupacionais como a síndrome de burnout também estão fazendo mais empresas incentivarem o cuidado com a saúde mental.

Veja agora exemplos de ações do setembro amarelo nas empresas para ajudar a manter a saúde mental de seus colaboradores.

Setembro amarelo: ações de prevenção ao suicídio nas empresas

São muitas as opções de iniciativas para o cuidado com a saúde mental dos colaboradores no setembro amarelo. Confira algumas delas:

Workshops de alimentação saudável

Uma boa dieta e alimentação saudável podem prevenir o burnout e outros transtornos mentais. Por isso, uma boa opção de ação de setembro amarelo nas empresas é oferecer cursos e oficinas livres de preparação de opções saudáveis para as refeições.

Psicólogo na empresa

Para garantir que seus colaboradores não estão lidando sozinho com seus problemas, uma boa opção é disponibilizar um profissional psicólogo nas organizações. Mesmo que ele compareça periodicamente, isso já pode dar um novo caminho aos funcionários que querem lidar melhor com as próprias emoções.

Auxílio psicológico

Se ter um psicólogo não está na realidade de sua organização, o que acha de disponibilizar um valor mensal para consultas psicológicas e psiquiátricas? Este tipo de ação, além de promover a saúde mental nas empresas, ainda demonstra um cuidado especial com seus colaboradores.

Evacard: cuide de corpo e da mente dos colaboradores

Não importa se você vai pagar um valor para os colaboradores irem ao psicólogo ou psiquiatra, ou se vai promover a alimentação saudável no trabalho para melhorar as condições de vida: com a ajuda da Eva Benefícios você pode fazer tudo isso.

Com a categoria Saúde do cartão Eva, você consegue enviar um saldo exclusivo para ser utilizado em clínicas médicas e serviços médicos especializados. A categoria Saúde também pode ser gasta em farmácias.

E então, gostou de conhecer a história do setembro amarelo? Se conhece outra ação para setembro amarelo nas empresas ou para promoção de saúde mental no trabalho, não deixe de comentar o post e compartilhar!

5 1 vote
Article Rating

Tópicos

Compartilhe nas suas redes sociais:

Quer simplificar os processos
da sua empresa?

Comentários

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Quer saber mais?
Fale com a Eva!