Como funciona o boleto bancário?

por

por

"Pagamento de boleto bancário" escrito sobre um fundo de listras roxas.

O boleto bancário é um sistema de pagamentos genuinamente brasileiro, criado há quase cinquenta anos. Por não exigir que o pagador tenha vínculos com alguma instituição financeira, esta é, para muitos, a forma mais democrática de pagamentos.

Até por isso, mesmo com novas e modernas soluções de pagamentos surgindo a cada dia, os boletos bancários não caem no desuso, sendo que uma pesquisa da Federação Brasileira de Bancos, ou Febraban, mostrou que 3,6 bilhões de boletos bancários são emitidos anualmente.

Por isso, siga com a leitura e descubra o que são boletos bancários, como funcionam, quais os principais tipos de boletos e muito mais. Conheça também a funcionalidade de pagamento de boleto, outra inovação além das transferências da Eva.

O que é boleto bancário

O boleto bancário é uma solução de pagamentos que concede praticidade para quem paga e mais controle para quem recebe. Ele pode ser utilizado para o pagamento de bens e serviços em todo o território nacional.

Aliás, a democratização dos processos de pagamento e recebimento é uma das principais vantagens do boleto bancário, já que não há necessidade do pagador ser cliente de algum banco. Vale lembrar que dados da Brink’s em parceria com a Fundação Dom Cabral mostram que 38,5% dos brasileiros adultos estão desbancarizados — não possuem vínculo ativo com bancos.

Para saber mais, confira um vídeo da Gerencianet, uma empresa especializada em pagamentos, para entender mais sobre boletos bancários.

Entenda tudo sobre boleto bancário a Gerencianet!

Vejamos adiante um breve resumo da história dos boletos bancários.

História do boleto bancário

A história do boleto bancário começa em meados da década de 1960,  quando ficou definido que os bancos do país poderiam firmar convênios com instituições provedoras de serviços básicos (água e luz, por exemplo) para o recebimento dos valores das contas.

Já na década seguinte, no auge do chamado êxodo rural, o número de transações que os bancos tinham que lidar não parava de crescer. Foi quando as instituições financeiras começaram, também, a receber pagamentos relacionados ao setor privado.

Assim, uma das soluções idealizadas foi a de padronizar um sistema de pagamentos para agilizar os processos dos bancos e oferecer comodidade aos clientes. Foi então que, no início da década de 1980, surgiram os boletos bancários.

Já o formato de boleto bancário que estamos habituados, com código de barras, só foi surgir por volta de 1993, quando uma instrução normativa do Banco Central possibilitou o funcionamento de sistemas eletrônicos de cobrança. Entenda mais sobre o funcionamento desta forma de pagamento a seguir.

Como funciona o boleto bancário

A simplicidade do meio de pagamento também é um dos pontos de destaque. De forma simplificada, o boleto bancário funciona da seguinte maneira: o emissor gera o documento e envia para o pagador, que pode liquidar o valor indicado em bancos, lotéricas, postos dos correios ou até mesmo on-line por meio de aplicativos de instituições financeiras.

Para efetuar o pagamento dos boletos sem preocupações, no entanto, é necessário se atentar à data de vencimento para evitar encargos adicionais. Para não ter esta dor de cabeça, descubra como entender as informações do boleto bancário.

Entendendo as informações do boleto bancário

Para os leigos, os boletos bancários podem parecer apenas um documento com vários números e letras. Por isso, descubra agora quais informações estão disponíveis no boleto bancário e saiba como compreendê-las.

  • Identificação da instituição financeira: nome ou logomarca do banco que emitiu o boleto bancário.
  • Nome do cedente: nome da pessoa ou instituição responsável pela emissão.
  • Data de emissão: data em que o boleto foi gerado.
  • Data de vencimento: data final para pagar o boleto sem encargos.
  • Agência: número da agência bancária do beneficiário.
  • Valor do boleto: valor da transação.
  • Outras cobranças: descrição dos encargos, multas ou taxas aplicadas após o vencimento.
  • Dados do pagador: nome e CPF de quem paga.
  • Dados do recebedor: nome e CPF (ou CNPJ) de quem recebe.
  • Número do boleto: número que pode chegar a 48 dígitos e que representa o código de barras numericamente.
  • Código de barras: código feito para ser lido por máquinas e que concentra as informações relevantes do boleto.

Confira as informações de cada campo do boleto:

Um boleto bancário e seus 5 principais pontos:
Marca da instituição de pagamento; emissor; número do documento; vencimento e valor.

Tipos de boletos bancários

Qual o tipo de boleto bancário que você está pagando? Qual é a melhor opção de boleto para sua empresa receber? Descubra tudo a seguir.

Boleto sem registro

Diretamente do museu das formas de pagamento, começaremos nossa jornada pelos tipos de boletos bancários abordando o boleto simples, também conhecido como boleto sem registro. 

Este é, de forma simplificada, um boleto em que não constam as informações do cobrador, tão pouco outros dados relevantes como data de vencimento e valor da transação. Vale lembrar de uma pesquisa divulgada pela Febraban em 2016 que mostrou que 40% dos boletos emitidos diariamente eram simples.

E uma vez que esta carência de informações representava um risco de fraude, a Febraban disponibilizou em 2017 uma nova plataforma de pagamento em que há a obrigatoriedade do registro dos títulos. Assim, o boleto sem registro — que era muito utilizado em golpes — tornou-se proibido.

Boleto registrado

Diferentemente do seu antecessor, no caso do boleto registrado é necessário comunicar ao banco uma variedade considerável de informações para emitir um boleto. Desta forma, há mais segurança por parte de quem paga e mais controle por parte de quem recebe o pagamento.

Outras mudanças foram:

  • Boletos devem informar os dados de quem paga e de quem recebe;
  • Boletos bancários podem ser pagos em qualquer banco, mesmo após seu vencimento;
  • Juros são calculados pela plataforma, excluindo a necessidade de impressão de uma segunda via;
  • Inconsistências nos dados apresentados no boleto poderão ocasionar invalidação do documento.

Há, além disso, a possibilidade da empresa recebedora fazer o protesto do título em casos de inadimplência, garantindo assim mais certeza do recebimento do valor devido.

Carnê

Os carnês são uma série de boletos emitidos para pagamentos parcelados. Basicamente, eles concedem a opção de efetuar compras de bens ou serviços em parcelas.

Há vantagens também para aqueles sem vínculos com bancos, uma vez que compras no crediário podem ser feitas no carnê. Para isso é necessário apenas informar os dados do cliente e as configurações de cobrança. 

Assim, o carnê é uma ótima opção para o pagamento recorrente de serviços como cursos online e mensalidades de academia ou escolas, além de contas de internet ou semelhantes.

Saiba tudo sobre os carnês no artigo do blog da Gerencianet. 

Boleto recorrente

O boleto recorrente é um grande adiantamento na vida de quem precisa fazer cobranças frequentes, uma vez que poupa o tempo gasto na emissão do documento. Assim, é possível configurar a periodicidade em que o cliente recebe o boleto para o pagamento, que pode ser feito quinzenal, mensal, bimestral, trimestral, semestral ou anualmente.

Portanto a cobrança é enviada ao cliente por e-mail, com alguma antecedência para garantir que haja tempo suficiente para pagar antes da data de vencimento.

Bolix

O Bolix é uma das últimas inovações em termos de gestão de pagamentos e recebimentos. Ele une duas soluções brasileiras efetivas de pagamentos: os boletos bancários e o Pix.

Basicamente, um Bolix é um boleto que vem acompanhado, além do código de barras, de um QR Code que pode ser utilizado para concluir os pagamentos com Pix. É a segurança e a praticidade que os boletos garantem, agora com o Pix!

Diferença entre boleto e duplicata

Outros dois termos que são facilmente confundidos são os boletos bancários e as duplicatas. Apesar de muitos pensarem que eles tratam das mesmas coisas, há diferenças significativas entre os dois documentos.

Em suma, a duplicata pode ser considerada como um título de crédito executivo que obriga uma das partes da negociação a pagar o valor estipulado. Já o boleto, por sua vez, é uma forma de pagamento que pode ser aplicada, como vimos, para uma variedade de situações de cobranças.

Como emitir um boleto bancário?

Para emitir boletos bancários há alguns passos simples, mas que devem ser seguidos com atenção.

Em primeiro lugar, é necessário possuir uma conta digital focada em negócios, como é o caso da Efí. Após isso:

  1. Solicite, junto ao seu banco, o serviço de emissão de boletos bancários;
  2. Insira os dados de sua organização e de seus clientes na plataforma;
  3. Defina o valor da cobrança, o vencimento e o produto ou serviço que será cobrado;
  4. Configure os juros, taxas e multas — caso necessário.

Como pagar um boleto bancário?

Como observado, há inúmeras formas de se pagar um boleto bancário. Em termos de estabelecimentos físicos, os que aceitam pagamento de boleto são:

  • Bancos
  • Lotéricas
  • Agências dos Correios
  • Algumas farmácias

Entretanto, uma das facilidades que os aplicativos de bancos trouxeram é a possibilidade de pagar boletos pelo celular, desde que você tenha dinheiro na conta e o aplicativo da sua instituição financeira.

Assim, a Eva, apesar de ser uma RH Tech, ainda permite o pagamento de boletos pelo aplicativo. Para isso, basta o usuário ter saldo no Saldo Livre e escanear o código de barras — ou digitar/colar a numeração do documento.

Para saber mais sobre a Eva e as outras funcionalidades que fazemos pensando na sua organização e nos seus colaboradores, entre em contato pelo formulário abaixo!

Saiba mais: PPR ou Programa de Participação nos Resultados.

5 1 vote
Article Rating

Tópicos

Compartilhe nas suas redes sociais:

Quer simplificar os processos
da sua empresa?

Comentários

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Quer saber mais?
Fale com a Eva!