Início » Blog » Vale combustível: como funciona?
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Vale combustível: como funciona?

Se deslocar é uma necessidade básica, tanto que existe um artigo na Constituição que nos garante o direito de ir e vir. Seja no âmbito pessoal ou profissional, o transporte está sempre presente. No caso de meios corporativos, essa locomoção pode ser realizada através do vale combustível — além do vale transporte.

O vale combustível em questão serve para cobrir os gastos com gasolina, etanol ou diesel dos veículos. Ou seja, é um benefício corporativo a ser utilizado somente em postos de abastecimento.

Este benefício atende às realidades de empresas que possuem suas próprias frotas, façam locação de veículos ou aquelas que possuem colaboradores que se deslocam com seus veículos pessoais.

Geralmente este benefício é oferecido em forma de reembolso ou então um cartão vale combustível. Mais a frente farei um comparativo entre os formatos, mas antes preciso te contar se o vale combustível é obrigatório.

Vamos lá.

Vale combustível é obrigatório?

Não. A CLT prevê somente o vale transporte como benefício obrigatório. 

No entanto, podem haver contextos nos quais um colaborador queira abrir mão do vale transporte para ir ao trabalho com seu veículo próprio. Para tal, é necessário um acordo entre ambas as partes.

O próximo passo é o cálculo do gasto por deslocamento mensal para oferecer o benefício de combustível da forma correta aos colaboradores. 

Além do vale combustível, há empresas que também contribuem com valores para cobrir a depreciação do veículo.

Como oferecer vale combustível?

As formas mais comuns de oferecer vale combustível são através de reembolsos ou cartão vale combustível. Cada um terá seus prós e contras:

Reembolso

Há empresas que preferem fazer o reembolso do colaborador com suas despesas de locomoção. Para que a empresa contribua de forma assertiva, conhecer a performance do carro e a distância percorrida ajudará no cálculo do valor a ser reembolsado.

Além disso, o valor reembolsado precisa ser comprovado e ser pago em folha. O reembolso se configura como indenização e não salário. Assim, o pagamento não pode ser feito de forma separada — a não ser que sejam utilizados cartões de vale combustível.

Isso significa que existem muitas atividades operacionais para a comprovação dos gastos, cálculo do reembolso e eventuais pagamentos. Portanto, a burocracia é o maior empecilho deste formato de vale combustível.

Cartão combustível

Um cartão para este fim implica na utilização dele diretamente nos postos de gasolina, já com saldo previamente disponibilizado pelas empresas. Essa é uma forma de otimizar as atividades do financeiro e se adequar melhor às regras de compliance. 

No entanto, existem diferenças entre os cartões de combustível: aceitação e redes credenciadas, controle por quilometragem, bandeiras, entre outros.

Tendo em vista essas diferenças, existem cartões que podem trazer tanta burocracia quanto a modalidade de reembolso. Em casos de postos que não aceitam a bandeira do cartão, os colaboradores ficam restritos aos postos de combustíveis adeptos à bandeira.

Isso significa que as pessoas precisam ter muito planejamento com o abastecimento, precisando abandonar a prática de abastecer somente quando o veículo estiver na reserva. Em caso de viagens a trabalho, imprevistos podem existir. Neste sentido, a limitação é prejudicial.

Há ainda aqueles cartões que exigem a quilometragem rodada e outros dados para realizar a compra no posto, o que torna cansativo e burocrático o uso do vale combustível.

Reembolso ou cartão de vale combustível?

Acima mencionei que é possível calcular o valor gasto de combustível. A base para chegar ao resultado é compreender o consumo médio do veículo (Km/L), a distância percorrida no mês e o valor do combustível. 

Embora simples de calcular, fazer este cálculo para vários colaboradores não é uma tarefa fácil — leve para uma microempresa, pesado ou impossível para uma multinacional. Então, o pessoal do Departamento Pessoal e Financeiro teria bastante trabalho.

Ou seja, o cartão de vale combustível já ganha com essa vantagem.

Em contrapartida, o reembolso acaba por ser mais flexível que alguns cartões de combustível, pois os colaboradores não ficam limitados aos postos credenciados à bandeira do cartão. 

Há ainda o detalhe de que existem postos que repassam valores das taxas dos cartões para quem está abastecendo, cobrando uma porcentagem acima do valor da bomba.

Porém, essas situações acontecem geralmente entre casos de cartões com bandeira própria. 

Cartões de benefícios flexíveis como a Eva são a solução mais adequada de vale combustível, pois não possuem esses fatores limitantes. Ou seja, praticamente qualquer máquina de cartão os aceita, e não será cobrado valores extras.

Cartão da Eva Benefícios está à esquerda. Ao centro, o texto

Portanto, o cartão de combustível flexível tem o melhor do cartão e do reembolso:

  • Flexibilidade para ser aceito em qualquer posto de combustível;
  • Disponibilizar o saldo antes;
  • Não há repasse de taxas;
  • Redução de custos e atividades operacionais.

Cartão de combustível da Eva

A Eva é um cartão de benefícios flexíveis que possui 8 categorias de benefícios num único cartão. Ou seja, ao mesmo tempo que sua empresa pode oferecer vale combustível para os colaboradores, outros vales como alimentação, refeição, saúde e outros também podem ser oferecidos. 

Das vantagens de um cartão combustível flexível, a Eva tem todos os pontos, além de não precisar de taxas ou mensalidades para adquirir seu cartão.

Entre em contato para saber mais sobre a Eva!

5 1 vote
Article Rating

Tópicos

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Este artigo foi feito por

Artigos recentes
RH
Leonardo Grein

A História do RH no Brasil e no Mundo

Você provavelmente sabe que a área de gestão de pessoas é essencial para as organizações. E que esse setor, além de garantir uma boa relação

capa artigo sobre pat no blog da Eva Benefícios
Benefícios
Taysa Bocard

O que é PAT? Entenda o Programa e suas mudanças

O PAT é um programa de alimentação do Governo, criado em 1976 para promover melhores condições alimentícias aos empregados de baixa renda. Contudo, o Programa e VA/VRs correm riscos.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments