Ergonomia no trabalho: NR-17, dicas e importância

por

por

Mascote da Eva sentado na cadeira e com uma mesa na frente. No título: "Ergonomia no trabalho".

Seja no home office ou no regime presencial, boas condições de trabalho oferecem vantagens para a saúde dos trabalhadores e para a produtividade das organizações. A ergonomia no trabalho, inclusive, é a área que se dedica a otimizar a segurança dos trabalhadores.

Tais práticas também reforçam o cuidado da organização com a saúde dos trabalhadores. E além de tudo isso, a atenção com a ergonomia é uma das obrigações legais das organizações, como veremos adiante.

Continue a leitura e descubra a importância da ergonomia, seus tipos, o que diz a NR-17 e muito mais.

O que é ergonomia?

Antes de entender as aplicações práticas da ergonomia, é substancial compreender que a palavra deriva da junção de duas palavras gregas: ergon (trabalho) e nomos (normas). Assim, evidencia-se que a ergonomia é tudo aquilo que trata do conforto do trabalhador enquanto executa o seu trabalho.

Há o entendimento que ergonomia no trabalho é apenas oferecer cadeiras e mesas adequadas para os colaboradores. Apesar de isto englobar o que o conceito de ergonomia propõe na prática, é possível dizer, repetindo o ditado, que o buraco é mais embaixo.

O propósito da ergonomia no trabalho, na verdade, é eliminar qualquer desconforto do trabalhador ao exercer sua função. Assim, é possível evitar possíveis dores, lesões e problemas de saúde — tornando, também, o serviço mais efetivo.

Tipos de ergonomia

Para englobar todos os conceitos que envolvem a ergonomia no trabalho, uma das formas mais efetivas é separar os diferentes tipos de ergonomia. São três, como você pode conferir:

Infográfico com os tipos de ergonomia, sua importância e as desvantagens de não investir nisso.

Ergonomia física

A ergonomia física diz respeito aos cuidados com a saúde do corpo no ambiente de trabalho. Numa avaliação de ergonomia física é avaliada a postura durante o serviço; quais os movimentos repetitivos o trabalhador executa em sua jornada, assim como a disponibilidade de produtos ergonômicos (cadeira, mesa, mouse pad e outros) no local de trabalho.

Ergonomia cognitiva

A ergonomia cognitiva, por sua vez, visa preservar a saúde mental no ambiente de trabalho. Tal avaliação irá entender os níveis de estresse do colaborador e se há quadro de ansiedade, depressão ou burnout.

Ergonomia organizacional

Já a ergonomia organizacional, por fim, procura possíveis agravantes ao bem-estar dos trabalhadores na estrutura da empresa. O clima organizacional, as metas e as divisões das funções — para avaliar se há sobrecarga de trabalho — são os alvos de tais avaliações, dentre outros aspectos.

Vantagens do cuidado com a ergonomia no trabalho

Conforme você verá adiante, as organizações seguem normas que garantem boas condições de trabalho em termos de ergonomia. Mas além da obrigatoriedade, as empresas também têm vantagens ao se atentar a isso.

Conforme publicado no relatório Examples of costs and benefits of ergonomics, do Departamento de Trabalho e Indústria do Estado de Washington, Estados Unidos, os benefícios do investimento em ergonomia no trabalho são:

  • Redução de 59% nos casos de doenças musculoesqueléticas;
  • Redução de 75% nos dias de trabalho perdidos;
  • Aumento de 25% na produtividade;
  • 67% menos erros;
  • Redução média de 48% na rotatividade de funcionários;
  • Redução média de 58% no absenteísmo de funcionários.

O que a lei diz sobre ergonomia no trabalho?

Sendo a ergonomia no trabalho um assunto diretamente relacionado à saúde da classe trabalhadora, era inevitável que surgissem normas específicas para regulamentá-la. No Brasil, isso aconteceu em 1978 com a publicação da Norma Regulamentadora N° 17 (NR-17).

Esta norma tem como objetivo estabelecer parâmetros para a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, visando proporcionar conforto, segurança e eficiência no desempenho.

NR-17: o que diz a norma regulamentadora da ergonomia?

A NR-17 aborda diversos aspectos das condições de trabalho, incluindo levantamento de materiais, mobiliário, equipamentos, ambiente de trabalho e organização das tarefas. Vale lembrar que é responsabilidade do empregador realizar a análise ergonômica do trabalho, garantindo que as condições de trabalho atendam aos requisitos estabelecidos na norma.

Dentre os direitos que precisam ser garantidos na ergonomia do trabalho:

  • Repercussões sobre a saúde: A NR-17 exige que qualquer sistema de avaliação de desempenho leve em consideração o impacto na saúde dos trabalhadores em atividades que envolvem sobrecarga muscular.
  • Pausas para descanso: Para atividades que demandam esforço físico, a norma determina a inclusão de pausas para descanso, visando a preservação da saúde dos trabalhadores.
  • Retorno gradual ao trabalho: Em casos de afastamento igual ou superior a 15 dias, a exigência de produção deve permitir um retorno gradativo aos níveis anteriores, garantindo a adaptação do trabalhador.
  • Atividades de processamento eletrônico de dados: A NR-17 estabelece diretrizes específicas para atividades de digitação, limitando o número de toques por hora, tempo efetivo de trabalho e exigindo pausas regulares.

Penalizações por descumprimento

É claro que há fiscalização das condições de ergonomia no trabalho. Até por isso, também é possível enxergar penalizações para empresas e funcionários que descumprirem a NR-17.

Saiba mais adiante.

Para funcionários

Alguns trabalhadores podem se recusar, sem justificativa válida, a cumprir as normas da NR-17 (Norma Regulamentadora que trata da ergonomia no trabalho). Tal recusa é considerada um ato faltoso por parte do trabalhador.

Caso insista, o trabalhador pode sofrer penalidades previstas em lei, incluindo a possibilidade de demissão por justa causa.

Para empresas

As empresas passam por avaliações regulares para verificar as condições de ergonomia no ambiente de trabalho. Se forem identificadas irregularidades, a empresa recebe uma notificação e um prazo de até 60 dias para realizar as correções necessárias.

Após o prazo de correção, a empresa é fiscalizada novamente para garantir que todas as irregularidades tenham sido corrigidas. Se persistirem irregularidades, podem ser aplicadas multas à empresa e, em casos graves, a empresa pode enfrentar um processo na Justiça do Trabalho.

Benefícios para melhorar a ergonomia no trabalho

Portanto, conferimos a importância de garantir uma boa ergonomia no trabalho. E uma das formas mais efetivas para fazer isso é oferecendo benefícios corporativos para a ergonomia e saúde em geral.

Se sua equipe atua em regime presencial, seu escritório deve estar bem preparado para que os funcionários cumpram suas funções com conforto. Já para os colaboradores em home office, é possível oferecer verba para aquisição de cadeiras e mesas ergonômicas.

Outros acessórios como mouse pad ergonômicos podem ser uma boa opção para reforçar o branding da empresa, uma vez que é possível solicitar modelos personalizados. E para cuidar dos funcionários com eficiência você pode conceder um só cartão para todos os benefícios, da alimentação à saúde.

Além disso, com soluções como o Eva Cuidar, você ainda tem a possibilidade de oferecer teleconsultas e academias para seus funcionários cuidarem do seu bem-estar. Entre em contato para receber uma cotação personalizada.

0 0 votes
Article Rating

Tópicos

Compartilhe nas suas redes sociais:

Quer simplificar os processos
da sua empresa?

Comentários

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Quer saber mais?
Fale com a Eva!