Alimentação infantil saudável: 5 dicas simples

por

por

Criança branca com cabelo castanho comendo cenoura em palito com um garfo na boca. O garoto está sentado numa cadeira de madeira e em frente dele há uma mesa com um prato cheio de legumes. No título "alimentação infantil saudável".

A alimentação é a base para o desenvolvimento e crescimento nos primeiros anos de vida. Até por isso, é fundamental incentivar hábitos alimentares saudáveis para as crianças, garantindo assim uma alimentação infantil saudável e balanceada

Isso também é uma maneira de garantir que a criança cresça e se torne um adulto saudável. Vale ressaltar também que é na infância que desenvolvemos os hábitos alimentares que nos acompanharão pelo resto da vida.

Por isso, consumir pratos coloridos, com muitas vitaminas, minerais e fibras traz muitos benefícios na vida da criança. Tais hábitos na alimentação infantil são tão importantes quanto evitar doces e guloseimas em excesso.

Confira a seguir mais dicas de alimentação saudável para crianças.

Importância da alimentação saudável infantil

Poucos sabem, mas uma boa alimentação infantil começa desde a gravidez da mãe. Sabendo disso, muitos médicos recomendam às gestantes cuidados especiais com a alimentação durante este período, assim como no pós-parto e na introdução alimentar do bebê.

Já nos seis primeiros meses de vida, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a alimentação infantil somente com leite materno. Isso pois a amamentação traz benefícios para a mãe e fornece ao bebê os nutrientes necessários para o desenvolvimento físico e cognitivo.

após os seis meses de idade, o neném já deve ser introduzido aos alimentos, com algumas restrições. Confira o Guia Alimentar da Universidade de São Paulo para mais informações.

Quais os macronutrientes fundamentais?

Antes de planejar as primeiras refeições do neném ao sair da etapa de amamentação, é fundamental conhecer os macronutrientes presentes nos alimentos. Dessa forma é possível planejar uma alimentação infantil saudável e equilibrada.

Carboidratos

As crianças necessitam de energia para brincar, e os carboidratos, por sua vez, são excelentes fontes de energia. Você pode encontrá-los em pães, massas e grãos — de preferência integrais.

O ideal, também, é evitar o açúcar na hora de escolher quais carboidratos consumir.

Proteínas

As proteínas são os nutrientes que formam os tecidos do nosso corpo (como músculos e ossos) e que contribuem para o desenvolvimento e crescimento infantil. As proteínas de origem vegetal estão presentes nas leguminosas e cereais, como brócolis, soja e feijão. 

Já as de origem animal são encontradas em carnes, laticínios, ovos e peixes. É importante, na alimentação infantil, evitar carnes gordurosas para manter o nível de colesterol controlado.

Gorduras

As gorduras fornecem energia concentrada e também são vitais para a absorção de vitaminas lipossolúveis (como as vitaminas A, D, E e K). Além disso, essas desempenham um papel na proteção dos órgãos, isolamento térmico e regulação de processos biológicos.

Hidratação

Manter uma hidratação adequada é essencial para o bem-estar das crianças, já que a água desempenha um papel crucial na regulação da temperatura corporal, no funcionamento dos órgãos e na saúde geral durante as atividades diárias e brincadeiras.

Vitaminas

As vitaminas e sais minerais são nutrientes que ajudam o corpo a realizar as funções vitais. Essas são presentes nas frutas como laranja, morango e banana; além de verduras e legumes como brócolis, espinafre e cenoura. 

Os minerais são encontrados em pequenas quantidades na água e nos diversos alimentos que contém ferro, presente na lentilha, feijão e na carne.

💡 Veja também: alimentação saudável no trabalho.💡

5 Dicas para uma alimentação saudável infantil

Para uma alimentação infantil saudável, há algumas ‘regrinhas’ e orientações que são passadas para os pais pelos médicos e nutricionistas. Confira as principais:

1. Influência dos pais

A melhor maneira de incentivar as crianças a comerem alimentos saudáveis é através do exemplo dos pais. Se elas não nos vêm consumindo os mesmos alimentos que lhes servimos, como podemos esperar que se sintam seguras para experimentar o que é diferente?

Além disso, esse comportamento é um estímulo e motivação para que toda a família adote hábitos alimentares saudáveis. Lembre-se de que a comunicação clara e eficaz é fundamental.

2. Geladeira e despensa com alimentos saudáveis.

Uma dica valiosa é que se tenha em casa uma oferta variada de alimentos saudáveis, como frutas, verduras e legumes.

Parece básico, mas o óbvio precisa ser dito: quanto mais a criança for exposta a alimentos saudáveis, mais vai comer alimentos saudáveis. Da mesma maneira, quanto mais a criança for exposta a alimentos inflamatórios, com alto teor de açúcar e outras substâncias nocivas em excesso, mais ela terá chances de consumi-los.

3. Fazer a criança sentir parte do processo

Outra boa dica é incentivar a criança a participar do processo de preparo das refeições. Assim, a criança pode conhecer cheiros, texturas e sabores diferentes.

Ações simples podem aumentar o interesse da criança pela alimentação saudável. Considere gestos como fazer a criança ajudar com a lista de supermercado; acompanhar a compra dos alimentos; higienizar as frutas e vegetais; arrumar a mesa ou até mesmo ajudar nas preparações mais simples.

4. Evite distrações

É bom evitar o uso de celular, televisão, computador ou tablet na hora da refeição — e isso vale para os pais também. Evitar o uso de aparelhos durante as refeições é benéfico, pois isso permite que as pessoas desfrutem conversas com a família e apreciem verdadeiramente a comida, promovendo uma experiência mais satisfatória e significativa.

5. Paciência com a alimentação infantil

A paciência é importante no desenvolvimento da alimentação infantil saudável. Lembre-se, durante todo o processo, que todos já fomos crianças que não entendiam o porquê de não podermos comer doces antes das refeições e coisas do tipo.

Vá apresentando novos sabores e texturas aos poucos. É importante entender, também, que assim como os adultos, haverá alimentos que a criança simplesmente não gostará. Por isso, busque sempre novas alternativas para ter variedade nas refeições.

Veja mais dicas pelo vídeo:

Confira em 12 passos como incentivar a alimentação infantil saudável!

Conclusão

É possível concluir, portanto, que o desenvolvimento de bons hábitos na alimentação infantil é um processo contínuo e que deve ter suas etapas respeitadas. A boa educação alimentar na infância é fundamental, já que cultiva bons hábitos que podem permanecer até o indivíduo virar adulto.

Como muitos sabem, a alimentação tem tudo a ver com saúde mental e física, e por isso é importante o cuidado e acompanhamento profissional contínuo. Entre em contato com a Eva para saber como podemos ajudar sua empresa!

5 3 votes
Article Rating

Tópicos

Compartilhe nas suas redes sociais:

Comentários

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Quer saber mais?
Fale com a Eva!